Belém Novo

Categoria do post: Postagens atuais (após 2021)

Um paraíso ao Deus-dará

CONHEÇA O PASSADO E O PRESENTE DE BELÉM NOVO, PARADISÍACO BAIRRO DA ZONA SUL DE PORTO ALEGRE, COM FUTURO AMEAÇADO PELO AVANÇO DA ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA

September 10, 2021

TEXTO DE PAULO CÉSAR TEIXEIRA E FOTOS DE LUIZ ABREU

A gente vive a louvar a beleza das terras alheias e esquece que na nossa terra – bem perto de nós – há paisagens maravilhosas. (…) Forçosamente, aquele paraíso de que a Bíblia fala, se era bom e bonito de verdade, devia ser assim, bem assim como a Villa Balnear Nova Belém. Aqui nesta, porém, há para todos os homens uma vantagem – podem comer todas as maçãs que quiserem.

Corria o ano de 1932 quando a Revista do Globo divulgou, dessa forma, as benesses da Villa Balneária Nova Belém, loteamento residencial recém construído às margens do Morro da Cuíca, em Belém Novo, zona sul de Porto Alegre.

De lá para cá, os encantos da paisagem descrita pela publicação quinzenal, que marcou época na imprensa gaúcha de 1929 a 1967, continua atraindo novos moradores em busca de paz e sossego, além de visitantes vindos de outros bairros e da região metropolitana de Porto Alegre.

Recentemente, jovens adotaram uma clareira junto à mata na Praia do Veludo, nas bordas do Morro da Cuíca, especialmente aos fins de semana, para assistir ao pôr-do-sol, que se reflete sobre as águas do Guaíba.

— É uma região da cidade com vocação para o lazer e a recreação, quem sabe até pudesse se transformar em ponto turístico, mas sofre com o descaso e a falta de cuidado do poder público — afirma a arquiteta e urbanista Clarissa Maroneze Garcia, autora da dissertação Ver o presente, revelar o passado e pensar o futuro: A evolução urbana do bairro Belém Novo em Porto Alegre – RS para o mestrado em Planejamento Urbano e Regional da UFRGS.

(…)

Leia a matéria completa em https://www.ruadamargem.com/lugares/belem-novo-um-paraiso-ao-deus-dara

Fonte: Rua da Margem (https://www.ruadamargem.com/), a que agradecemos o interesse por retratar as coisas daqui e outras tantas de nossa cidade. Gracias, querid@s!

Gambás estão em período de amamentação: ajude a protegê-los!

“Gambás” procede do tupi gã’bá, “seio oco”

De fato, os gambássaruês ou raposinhas precisam de sua proteção. As gambás em período de amamentação ficam mais lentas e correm sérios perigos. Nós somos privilegiados por vivermos em contato com essa natureza. Com efeito, Belém Novo ainda tem uma rica fauna e flora. Os gambás são nossos vizinhos. Precisamos tratá-los com amor e protegê-los!

Abundantes na zona rural de Porto Alegre, aparecem mais durante a primavera, época de reprodução da espécie. Sem dúvida, são geralmente encontrados invadindo residências em busca de alimentos e abrigo. Não raros são os relatos de animais encontrados dentro de armários ou latas de lixo. Geralmente as mães gambás são vítimas de ataques por cães ou atropelamentos.

Assim, a  reprodução da espécie é no período primaveril. Os gambás são animais marsupiais, ou seja, com útero incompleto e período de gestação curto (11 a 12 dias). Quando filhotes, nascem ainda malformados, migram para a barriga da mãe até a bolsa ventral, onde permanecem por 70 dias amamentando-se. A mãe gambá tem 21 filhotes por gestação, mas apenas cerca de 9 sobrevivem, devido à disputa pela amamentação.

Características dos gambás

Os gambás são animais com quarenta a cinquenta centímetros de comprimento, sem contar com a cauda, que chega a medir quarenta centímetros. Têm um corpo parecido com o do rato, incluindo a cabeça alongada. A cauda tem pelos apenas na região proximal, é escamosa na extremidade e é preênsil, ou seja, tem a capacidade de enrolar-se a um suporte, como um ramo de árvore. As patas são curtas e têm cinco dedos em cada mão, com garras; o primeiro dedo das patas traseiras, a saber, hálux, é parcialmente oponível e, em vez de garra, possui uma unha. Têm marsúpio, a saber, bolsa externa. No entanto, ao contrário da maioria dos marsupiais, sua cauda é menor que seu corpo.

Reprodução

Os gambás podem reproduzir-se três vezes durante o ano, dando dez a vinte filhotes em cada gestação, que dura de doze a catorze dias. Como nos restantes marsupiais, ao invés de nascerem filhotes, nascem embriões com cerca de um centímetro de comprimento, que se dirigem para o marsúpio, onde ocorre uma soldadura temporária da boca do embrião com a extremidade do mamilo. Os filhotes permanecem no marsúpio até quatro meses e, quando crescem não são ainda capazes de viver sozinhos, são transportados pela mãe em seu dorso. Em cativeiro, o período de vida é de dois a quatro anos.

Comportamento

Os gambás não vivem em grupos, mas, na época da reprodução, eles formam casais e constroem ninhos com folhas e galhos secos em buracos de árvores.Seus hábitos são noturnos. Por isso, quando começa escurecer, os gambás saem de seu abrigo para caçar e coletar alimentos. Sendo um animal onívoro, se alimenta praticamente de tudo, como: raízes, frutas, vermes, insetos, moluscos, crustáceos (caranguejos encontrados em zonas de manguezais), anfíbios, serpentes, lagartos, pequenos mamíferos e aves (ovos, filhotes e adultos).

Ajude a protegê-los! Eles são muito dóceis!