Belém Novo

Gambás estão em período de amamentação: ajude a protegê-los!

“Gambás” procede do tupi gã’bá, “seio oco”

De fato, os gambássaruês ou raposinhas precisam de sua proteção. As gambás em período de amamentação ficam mais lentas e correm sérios perigos. Nós somos privilegiados por vivermos em contato com essa natureza. Com efeito, Belém Novo ainda tem uma rica fauna e flora. Os gambás são nossos vizinhos. Precisamos tratá-los com amor e protegê-los!

Abundantes na zona rural de Porto Alegre, aparecem mais durante a primavera, época de reprodução da espécie. Sem dúvida, são geralmente encontrados invadindo residências em busca de alimentos e abrigo. Não raros são os relatos de animais encontrados dentro de armários ou latas de lixo. Geralmente as mães gambás são vítimas de ataques por cães ou atropelamentos.

Assim, a  reprodução da espécie é no período primaveril. Os gambás são animais marsupiais, ou seja, com útero incompleto e período de gestação curto (11 a 12 dias). Quando filhotes, nascem ainda malformados, migram para a barriga da mãe até a bolsa ventral, onde permanecem por 70 dias amamentando-se. A mãe gambá tem 21 filhotes por gestação, mas apenas cerca de 9 sobrevivem, devido à disputa pela amamentação.

Características dos gambás

Os gambás são animais com quarenta a cinquenta centímetros de comprimento, sem contar com a cauda, que chega a medir quarenta centímetros. Têm um corpo parecido com o do rato, incluindo a cabeça alongada. A cauda tem pelos apenas na região proximal, é escamosa na extremidade e é preênsil, ou seja, tem a capacidade de enrolar-se a um suporte, como um ramo de árvore. As patas são curtas e têm cinco dedos em cada mão, com garras; o primeiro dedo das patas traseiras, a saber, hálux, é parcialmente oponível e, em vez de garra, possui uma unha. Têm marsúpio, a saber, bolsa externa. No entanto, ao contrário da maioria dos marsupiais, sua cauda é menor que seu corpo.

Reprodução

Os gambás podem reproduzir-se três vezes durante o ano, dando dez a vinte filhotes em cada gestação, que dura de doze a catorze dias. Como nos restantes marsupiais, ao invés de nascerem filhotes, nascem embriões com cerca de um centímetro de comprimento, que se dirigem para o marsúpio, onde ocorre uma soldadura temporária da boca do embrião com a extremidade do mamilo. Os filhotes permanecem no marsúpio até quatro meses e, quando crescem não são ainda capazes de viver sozinhos, são transportados pela mãe em seu dorso. Em cativeiro, o período de vida é de dois a quatro anos.

Comportamento

Os gambás não vivem em grupos, mas, na época da reprodução, eles formam casais e constroem ninhos com folhas e galhos secos em buracos de árvores.Seus hábitos são noturnos. Por isso, quando começa escurecer, os gambás saem de seu abrigo para caçar e coletar alimentos. Sendo um animal onívoro, se alimenta praticamente de tudo, como: raízes, frutas, vermes, insetos, moluscos, crustáceos (caranguejos encontrados em zonas de manguezais), anfíbios, serpentes, lagartos, pequenos mamíferos e aves (ovos, filhotes e adultos).

Ajude a protegê-los! Eles são muito dóceis!

14° Dia da Solidariedade

Vem aí mais uma edição, programe-se! Em paralelo, ocorrerá ainda a 13ª Feira do Livro Interescolar.

Panorâmica da orla de Belém Novo pintada na praça

Pintura do Muro da Praça Inácio Antonio da Silva

Numa iniciativa voluntária do artista da terra Amaro Abreu e de outros tantos colaboradores que auxiliaram, desde a elaboração do projeto até a sua execução, entre os dias 8 e 9 de julho foi feita a pintura das paredes frontais dos sanitários da Praça Inácio Antônio da Silva, em Belém Novo.

Na ocasião, também foi realizado o plantio de mudas no canteiro do entorno do Marco Farroupilha (monumento que necessita de limpeza e restauro, serviços esses já solicitados para a administração municipal). A intervenção artística nessa área tão importante para todos os moradores de Belém Novo marca a proposta do movimento PRESERVA BELÉM NOVO: CIDADANIA, MEIO AMBIENTE e CULTURA. Assim, e prezando pelo respeito e cuidado das áreas públicas do bairro, esse trabalho ainda seguirá com a pintura das outras paredes, que ficam visíveis de dentro da praça, além de outras ações futuras com o mesmo propósito.

Agradecemos a todos que de algumaforma contribuíram para essa realização e especialmente ao Renato Pereira Jr., pela arte que serviu de modelo para a pintura com a panorâmica contendo alguns dos principais pontos do bairro, ao Jefferson Cunha pelo apoio na execução das pinturas, à Madeben Materiais de Construção, que doou grande parte da tintas que estão sendo utilizadas, e ao Felipe Farias, pelo belo registro fotográfico apresentado aqui.

Veludo e Leblon: no inverno ou no verão, curtir tudo isso tudo é muito bom!

Escadarias do morro da Cuíca (agora iluminada): quem nunca passou por ali?

Agora com fotos da escadaria iluminada por luminárias recém instaladas, atualizamos esse post de 2013 para mostrar como ficou um dos locais mais legais do bairro. E para lembrar que sempre vale a pena cobrar nossos direitos como cidadãos, buscando fazer do nosso Belém Novo um lugar com mais segurança e qualidade de vida, preservando sua memória e cuidando de suas inúmeras belezas naturais.

Para isso, ao constatar um problema no bairro (iluminação, esgoto, lixo, focos de mosquitos Aedes, etc) lembre-se de ligar gratuitamente para o fone 156 da prefeitura, anotar o protocolo, perguntar qual o prazo e cobrar novamente caso este seja descumprido. Caso o problema persista mesmo assim, informe o número do protocolo ao CAR Estremo Sul (Fone 32470939) e peça apoio para resolver a questão. Saiba mais sobre esse e outros procedimentos acessando nosso Guia do Cidadão em https://belemnovo.com.br/?s=guia.


 

Escadarias do Morro da Cuíca - descida

Escadarias do Morro da Cuíca – descida

Escadarias do Morro da Cuíca - subida

Escadarias do Morro da Cuíca – subida

A escada

São 147 degraus de uma antiga escada cheia de histórias. Alguns a utilizavam para chegar ao cume do morro e ainda subir na antiga caixa d’água (Reservatório Boa Vista) para ver o sol nascer, cometas passarem ou fins de tarde espetaculares. Coisa arriscada e um dos fatores que motivaram a sua demolição em 2007.

Mas a escada continua lá, sob a sombra das árvores que quase formam um túnel. Com o mato tomando conta e tendo lixo depositado irregularmente, teve uma limpeza realizada pela prefeitura em 2011, após pedido da comunidade.

Em 2012, também serviu de “trilha” para realização de freeride, modalidade de mountain bike onde se desce de bicicleta alguns caminhos tortuosos e inusitados.

Atualmente, encontra-se limpa e iluminada, servindo principalmente de acesso aos moradores de cima do morro ou aos que preferem torrar muitas calorias subindo como exercício os seus mais de cem degraus.

 

Escadarias do morro da Cuíca durante o dia, antes da instalação das luminárias:

Escadarias do morro da Cuíca durante o dia, antes da instalação das luminárias

Escadarias do morro da Cuíca durante o dia, antes da instalação das luminárias

Escadarias do morro da Cuíca durante o dia, antes da instalação das luminárias

Escadarias do morro da Cuíca durante o dia, antes da instalação das luminárias

 

Um ano de lotação Belém Novo: avaliação, elogios e reclamações

1ª viagem Bairro - Centro 07-11-2014 - 06h

1ª viagem Bairro – Centro 07-11-2014 – 06h

No último dia 07 de novembro fez um ano que Belém Novo passou a contar com o transporte de lotação, cuja primeira viagem para o Centro acompanhamos e registramos (foto ao lado). De lá para cá, recebemos em nosso site inúmeras mensagens com dúvidas e reclamações, pois não se encontra facilmente na internet um canal de contato com a empresa ZSul, empresa que opera as linhas Belém Novo e Restinga.

Por isso trazemos aqui informações, fatos, fotos e uma enquete para você avaliar o serviço.

A maior parte das sugestões e reclamações referem-se ao itinerário, que só atende a quem se desloca ao centro via Ipanema / Tristeza / Padre Cacique. Quem precisa ir pela Cavalhada / Teresópolis / Azenha / João Pessoa tem que ir de ônibus ou pegar lá adiante a lotação Restinga, única linha por essas bandas que atende o itinerário. Esperamos que a situação seja logo avaliada pela EPTC e que passemos também a contar com essa opção.

Outro problema refere-se ao terminal na Av. Borges de Medeiros, situado entre um contêiner de lixo orgânico, uma lixeira e uma banca de revistas. Durante os horários de pico, as pessoas se embolam numa fila junto à estreita passagem de pedestres pela calçada. Durante a noite, o local se torna um soturno e inseguro espaço, com visão de quem ali fica encoberta pela banca de revistas e pelo contêiner. Tanto que recebemos a dica de um policial militar para que, principalmente nos últimos horários, aguarde a lotação chegar em um ponto mais iluminado onde você possa ser visto por várias pessoas – sugerindo até o canteiro central da Borges para isso. Além do mais, há o problema do mal-cheiro devido às duas lixeiras – quando alguém não defeca ali na calçada, fato já relatado por motoristas da linha.

Também recebemos mensagens com reclamações de usuários relatando falta e descumprimento de horários, o que já levamos ao conhecimento da EPTC – cujas medidas não sabemos se foram tomadas. Inclusive passamos por uma dessas falhas, aguardando na insegurança do Centro a lotação do último horário, que não chegou, das 23h45min até às 00h20min.

Lotação Belém Novo - Terminal Centro

Lotação Belém Novo – terminal Centro

Para acessar a tabela de horários, reclamar, elogiar ou buscar recuperar objetos perdidos na lotação linha belém Novo, utilize um desses canais que pesquisamos para você:

Lotação Belém Novo (ZSul)
Telefones: (51) 3266-8140 / 8060.1896 (Vivo)
Para consultar os horários e itinerário da linha, acesse o site da ATL (Associação dos Transportadores de Passageiros por Lotação de Porto Alegre) clicando aqui.  Para informações ou reclamações, ligue gratuitamente para a EPTC: 156 – opção 1.